Concurso Diplomata 2020: data de publicação do edital segue em definição

0
497

O presidente Jair Bolsonaro garantiu um novo edital de concurso de Diplomata

No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro garantiu um novo edital de concurso de Diplomata (Concurso Diplomata 2020) e também nos demais anos de seu governo. A informação foi dada durante a cerimônia de formatura dos aprovados para diplomacia.

Em janeiro, o Ministério das Relações Exteriores também confirmou a pretensão de abrir um novo edital de concurso. Nesta semana, a assessoria de imprensa do Itamaraty disse que a data de publicação do edital ainda não foi definida.

“Não há previsão de data para a publicação do edital de abertura de concurso para diplomatas em 2020”, consta em nota enviada ao site Folha Dirigida na última segunda-feira (27).

Anúncio do concurso

Bolsonaro confirmou que estão mantidos os concursos anuais para ingresso no Instituto Rio Branco (IRB), do Ministério das Relações Exteriores. A decisão foi tomada após consulta aos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

“O nosso ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em contato com o nosso ministro da Economia, Paulo Guedes, informou que manterá o concurso dos senhores [ao se referir aos diplomatas] no corrente e nos demais anos. É um reconhecimento do trabalho de todos os senhores e senhores”, declarou Bolsonaro, aos aplausos da plateia.

Para concorrer ao cargo de Diplomata, o candidato deverá apresentar diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior, emitido por instituição de ensino credenciada pelo Ministério da Educação (MEC).

No caso de a graduação ter sido realizada em instituição estrangeira, caberá exclusivamente ao candidato a responsabilidade de apresentar, até a data da posse, a revalidação do diploma exigida pelo MEC, nos termos do art. 48 da lei nº 9.394/1996. O salário inicial será de R$ 19.199,06.

O concurso Diplomata

O concurso será realizado em duas fases:

a) Primeira Fase: prova objetiva, constituída de questões do tipo CERTO ou ERRADO de língua portuguesa, língua inglesa, história do Brasil, história mundial, política internacional, geografia, economia e direito e direito internacional público, de caráter eliminatório, que habilitará os candidatos a se submeterem à fase seguinte;

b) Segunda Fase: provas escritas de língua portuguesa, língua inglesa, história do Brasil, geografia, política internacional, economia, direito e direito internacional público, língua espanhola e língua francesa, de caráter eliminatório e classificatório.

A Primeira Fase será realizada nas capitais dos 26 estados da Federação e no Distrito Federal, enquanto a segunda fase será realizada nas capitais onde houver candidatos aprovados na Primeira Fase.

A prova objetiva da primeira fase foi aplicada no dia 08 de setembro de 2019, em dois períodos: o primeiro, iniciando-se às 9 horas e 30 minutos, com duração de 3 horas; e o segundo, iniciando-se às 15 horas, com duração de 3 horas.

Cada questão será composta por 4 (quatro) itens para julgamento. O julgamento de cada item será CERTO ou ERRADO, de acordo com o comando a que se refere o item. Haverá, na folha de respostas, para cada item, dois campos de marcação: o campo designado com o código C, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item CERTO, e o campo designado com o código E, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item ERRADO.

A prova escrita de língua portuguesa será aplicada nas capitais onde houver candidatos aprovados na Primeira Fase, na data provável de 12 de outubro de 2019, e terá duração de 5 horas, com início às 14 horas.