Concurso PF 2021: Autorização para área administrativa pode sair, acredita Fenapef

Concurso PF

A Polícia Federal tem expectativa de abrir um novo edital de concurso público (Concurso PF 2021). Agora, todos os esforços estão empenhados para abertura de vagas em cargos da área Administrativa.

A Fenapef acredita em autorização para preenchimento de 500 vagas.

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Boudens, acredita na autorização do concurso ainda em 2021.

“O pedido está com a Direção-geral. Ao menos aquelas 500 vagas creio que conseguiremos avançar agora em 2021”, disse Boudens ao site Folha Dirigida.

Ainda segundo o presidente, a PF chegou a um efetivo de apenas 2.300 servidores administrativos na ativa. Segundo ele, é o menor número em muito tempo.

A Fenapef tem o objetivo de avançar neste processo antes do avanço da PEC 32, da Reforma Administrativa. “Pois há uma ideia de agrupar todos os administrativos numa espécie de ‘carreirão’.

Isso seria ruim para os servidores do PEC (Plano Especial de Cargos) e para a própria PF”.

O concurso da PF para área administrativa

A Polícia Federal tem uma grande necessidade de abrir novos editais para cargos da área administrativa.

O grande desejo, inclusive, foi levantado durante reunião realizada com a direção geral da corporação, no mês de janeiro deste ano.

Além disso, foram abordadas a sobrecarga de trabalho dos escrivães e a remuneração pelo sobreaviso.

O encontro, marcado pelo deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL-RS), contou com a participação do presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, e o diretor geral da PF, Rolando Alexandre.

A necessidade de abertura de um novo concurso da PF para área de apoio foi reforçado pela Fenapef.

Um novo edital de concurso público da Polícia Federal está em andamento, mas somente para os cargos de agente, delegado, escrivão e papiloscopista.

Sendo assim, os cargos da área de apoio ficaram de fora do concurso. A diretora de Gestão de Pessoal da Polícia Federal, delegada Cecília Silva Franco, confirmou que o pedido de novo concurso PF para área administrativa será renovado em 2021.

De acordo com informações da diretora, o pedido será refeito em 2021, inclusive com acréscimo de provimentos diante das aposentadorias e também dos desligamentos.

“Agora a gente deve renovar esse pedido até com uma atualização das vagas, porque, passado um tempo, mais vacâncias aconteceram.

Então a gente atualiza esse levantamento e reinicia essas tratativas com o Governo Federal para autorização de concurso”, confirmou Cecília.

O pedido de abertura do novo edital de concurso público da Polícia Federal precisa ser feito até 31 de maio, prazo para que os órgãos federais enviem os seus respectivos pedidos para o Ministério da Economia, pasta que analisa os pedidos no âmbito federal.

O concurso da PF para cargos administrativos

As dificuldades financeiras do país, principalmente por conta da pandemia do novo coronavírus, foram reconhecidas por Cecília. No entanto, ela destacou que o edital de concurso para área administrativo é de extrema importância para corporação.

Segundo a diretora, a Polícia Federal está disposta a lutar pela autorização do novo edital de concurso público em 2021. Para ela, esta será “a batalha do ano”.

“A medida que os cargos vão ficando vagos em quantidade grande na carreira administrativa, a gente precisa muitas vezes de policiais atuando em atividades que não são da carreira policial. Então a Polícia Federal não funciona sem a carreira administrativa”, revelou.

Segundo ela, as carreiras administrativas são tão importantes quanto à policial. Ela enxerga diversos fatores para que o novo edital de concurso seja autorizado.

“É sim intenção da Polícia Federal renovar esse pedido e com atualização das vagas, que, com certeza, no período de um ano aumenta. São muitas saídas, seja por aposentadoria ou saída por aprovação em outro concurso também. Vamos então batalhar por isso este ano”, concluiu.

Pedido de concurso da Polícia Federal para cargos administrativos

Em 2020, a Polícia Federal solicitou um novo edital de concurso público para cargos da área administrativa. Foram solicitadas, ao todo, mais de 500 vagas. Veja a distribuição:

Administrador – 21 vagas;
Arquivista – oito vagas;
Assistente social – 10 vagas;
Bibliotecário – uma vaga;
Contador – nove vagas;
Economista – três vagas;
Enfermeiro – três vagas;
Engenheiro – uma vaga;
Estatístico – quatro vagas;
Farmacêutico – uma vaga;
Médico – 65 vagas;
Nutricionista – uma vaga;
Odontólogo – 11 vagas;
Psicólogo – cinco vagas;
Técnico em assuntos educacionais – 13 vagas;
Técnico em comunicação social – três vagas;
Agente administrativo – 349 vagas.

O maior número de cargos vagos foi para Agente Administrativo, função que requer o nível médio completo.

O salário básico do cargo é de R$2.279,16. Além disso, o cargo conta com gratificação de desempenho de atividade de apoio técnico administrativo de R$2.467, totalizando R$ 4.746,16 mensais.

Em junho de 2018, o concurso da Polícia Federal para o cargo de Agente Administrativo ficou sem validade. Dessa forma, a PF não pode mais convocar ou utilizar qualquer cadastro reserva.

O cargo de Agente Administrativo realiza atividades de nível médio, de grande complexidade, envolvendo a apresentação de solução para situações novas, a necessidade de constantes contatos com autoridades de média hierarquia, com técnicos de nível superior e/ou contatos eventuais com autoridades de alta hierarquia e abrangendo planejamento em grau auxiliar e pesquisas preliminares realizadas sob supervisão indireta, predominantemente técnica, visando à implementação das leis, regulamentos e normas referentes à administração geral e específica; supervisão dos trabalhos que envolvam a aplicação das técnicas de pessoal, orçamento, organização, métodos e materiais executados por equipes auxiliares, chefia de secretarias de unidades da mais alta linha divisional da organização.

O último concurso da Polícia Federal para Agente Administrativo foi realizado em 2013. Na ocasião, as vagas foram destinadas aos Estados do Acre (22 vagas), Alagoas (14 vagas), Amazonas (29 vagas), Amapá (25 vagas), Bahia (48 vagas), Ceará (32 vagas), Distrito Federal (548 vagas), Espírito Santo (32 vagas), Goiás (25 vagas), Maranhão (38 vagas), Minas Gerais (48 vagas), Mato Grosso do Sul (47 vagas), Mato Grosso (38 vagas), Pará (45 vagas), Paraíba (09 vagas), Pernambuco (35 vagas), Piauí (14 vagas), Paraná (48 vagas), Rio de Janeiro (58 vagas), Rio Grande do Norte (29 vagas), Rondônia (32 vagas), Roraima (25 vagas), Rio Grande do Sul (50 vagas), Santa Catarina (29 vagas), Sergipe (18 vagas), São Paulo (70 vagas) e Tocantins (22 vagas).

As provas objetivas aplicadas foram de de caráter eliminatório e classificatório, valendo 120,00 pontos, abrangendo as disciplinas citadas.

O certame foi coordenado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).